[PRÁTICA] Reduza pensamentos agitados usando os sons com apenas 3 minutos ao dia

Mindfulness não é difícil nem complexo. Lembrar de estar atento é o grande desafio.” (Christina Feldman)


Olá, tudo bem?

Isso mesmo…

como mencionou a professora de meditação Christina Feldman, mindfulness é bastante simples. Apenas voltar a atenção para o que acontece no momento presente.

No começo, o aluno é convidado a trazer a atenção ao corpo : respirando, caminhando, alongando ou simplesmente sentindo as sensações físicas deitado ou sentado.

Porém se nossa intenção não estiver alinhada a esta proposta central de “lembrar de retornar a um ponto de referência”, não conseguiremos acessar a experiência corporal.

Esse ponto de referência no qual a atenção deve repousar é chamado de “âncora”.

Um próximo passo no programa é o aluno “ancorar” a atenção nos pensamentos. Isso é bastante eficaz para reconhecer  hábitos mentais.

Mas também é um treino bastante desafiador porque :

  • temos a ideia de que mindfulness é parar de pensar;
  • as pessoas vêm com o intuito de se livrar dos pensamentos ansiosos;
  • os pensamentos são fugazes e pouco concretos – difíceis de “ancorar” a atenção.

Neste post, vou mostrar como você pode lidar com os pensamentos turbulentos no trabalho com uma breve técnica.

Veja os seguintes tópicos :

  • Olhe para os pensamentos e não a partir deles;
  • Aprender a olhar para os pensamentos;
  • Treine com os sons;
  • Qual o benefício contra o estresse no trabalho?
  • A prática breve;
  • Infográfico.

Olhe para os pensamentos e não a partir deles

Temos muitos pensamentos ansiosos por que tendemos a acreditar que os mesmos  são reais.

Neste caso, você acredita no que seus pensamentos dizem, e olha a situação a partir do ponto de vista deles.

Contudo, nossos pensamentos podem não estar em harmonia com nossos valores e aptidões em determinando momento, ou julgar inadequadamente situações e pessoas. Neste ponto, tomamos decisões erradas.

Pensar :

“Não consigo entender este assunto” pode passar a ser “Sou incompetente para este trabalho” em um piscar de olhos!

Isso ocorre principalmente quando temos pensamentos carregados de emoções negativas. Daí o vínculo tão estreito entre emoções e pensamentos.

Para não cair mais na armadilha dos pensamentos, principalmente quando você estiver meditando, basta fazer uma coisa :

Apenas olhe para os pensamentos!!


Aprender a olhar para os pensamentos

O fato é que os pensamentos não somos “nós”.

E isso digo com toda a certeza!

Mais de 90 % do que pensamos não acontecem do jeito que imaginamos e, se ocorrem, é de uma forma bem diferente.

Olhar para os pensamentos significa apenas ver os pensamentos surgirem e desaparecerem, sem deixar rastro.

Nada mais é ver que os eventos mentais e emocionais são transitórios e que podemos deixar de nos apegar a eles (o que em psicologia é chamado de decentramento ).

É como se você não levasse muito a sério o que eles dizem e os deixassem ir embora, como bolhas de sabão ao vento.

Ou como os SONS!


“A passagem sonora em constante fluxo é como o fluxo de seus pensamentos.” (Mark Williams)


Treine com os sons

É bastante simples e fortalece sua atenção contra as distrações!

Em vez de usar o próprio pensamento, nesta técnica usamos os sons. São mais concretos do que os pensamentos e nos dão uma referência confiável do efeito que estamos buscando.


Qual o benefício contra o estresse no trabalho?

Imagine que você está conversando com um colega ou um cliente e, ao mesmo tempo, outros colegas ao lado estão debatendo um assunto.

Sua atenção ficará dividida entre a conversa com o cliente e a distração vinda de fora – o burburinho dos colegas. Maior distração significa mais pensamentos agitados e maior estresse na tomada de decisão.

Aprendendo a lidar com os sons (e consequentemente com os pensamentos ansiosos), haverá menor chance de você perder partes importantes da conversa com o cliente e assim encontrar a adequada solução à demanda de forma clara e objetiva.


Isso é um dos benefícios que o treino de mindfulness traz ao ambiente de trabalho : não se perder em um mar de distrações e focar no que é relevante.


A prática breve


Treine da seguinte forma:

PASSO 1 : Observe sua respiração por alguns instantes para se centrar no momento presente.

PASSO 2 : Você se distrai,  percebe a distração e retorna a atenção para a respiração.

Você pode usar a técnica do oi- obrigado- tchau para retornar para a respiração com maior segurança!

PASSO 3 : Agora escute os sons ao seu redor.  Onde você estiver… Não importa o local : na praia,  na praça, na fila de supermercado, no escritório, aguardando o elevador …

Reconheça o som,  rotule- o, perceba se o mesmo provoca algum pensamento ou emoção em você e , o mais importante,  deixe- o ir.

Canto de pássaro,  ondas do mar, vento nas folhas,  ar condicionado, motor de carro, música no player,  conversas paralelas…

A ideia é que o som não deixe rastro!

Retorne a sua atenção para outro som,  ou, se achar mais confortável, para a respiração ou para o corpo.

Faça esse exercício durante 1 minuto,  3 x ao dia, todos os dias.

Referências

Burch, Vidyamala. Viva bem com a dor e a  doença : o método da Atenção Plena – São Paulo, Summus, 2011.

Feldman, Christina. The buddhist path to simplicity: Spiritual practice for everyday life. London, UK : HarperCollins.

Germer, Chistopher. Mindfulness e psicoterapia. –  2ª edição – Porto Alegre: Artmed, 2016.

Mindful Emotion Regulation: Exploring the Neurocognitive Mechanisms behind Mindfulness

https://www.hindawi.com/journals/bmri/2015/670724/

Williams, Mark; Penman, Danny. Atenção Plena – Mindfulness : Como Encontrar a Paz em um Mundo Frenético. São Paulo : Editora Sextante, 2015.

Gostou deste artigo? Então Compartilhe!
Postagens mais lidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Atendimento WhatsApp
Fale Conosco agora.